sexta-feira, 8 de junho de 2018

SÓ COMEÇA QUANDO INICIA

Por incrível que pareça, minha filosofança matinal não demorou muito. Tempo justo de mastigar uma torrada na velocidade de lesma faminta.
Mais uma vez a necessidade superou a vontade.Empurrei para a tarde apenas o que era possível. Bem menos do que eu gostaria!
A lista do mercado está pronta, as camas também (A minha e a dos bichos.). A leitura e comentários do texto da orientada desnorteada está quase no fim.
Mesmo com algum (Ou muito?) desprezo, reconheço que há boa (Alguma?) dose de sabedoria no mantra: tem que começar para iniciar. Aparentemente o fazer põe em funcionamento circuitos esquecidos no cérebro. Depois que começa, o desenvolver de uma tarefas facilita o movimento para realizar as outras.
Sou o tipo de procrastinador que pega no tranco! Que nem o fuca do meu pai!!!
(Para registro: O fuca do meu pai não era dessa cor, nem desse modelo e não descia escada.  Acontece que não achei foto de fuca em ladeira (que não fosse acidente))

OS ENCANTOS DA PROCRASTINAÇÃO (II)

Para justificar (Uma boa justificativa é a base de tudo!) deixar isso, isto, aquilo e aquele outro também para depois, meu pensamento desvia das tarefas para as grandes questões da humanidade. Sendo assim, estou adiando ações necessárias, mas prosaicas (De onde sai essa palavra?), em benefício de questionamentos maiores!
Estou sendo crítica, estou refletindo e expandindo a minha consciência sobre contextos do meu modo de vida doméstico e profissional. Contextos estes que me impõem,de um modo ou de outro (Vale tudo!) padrões artificiais de gerenciamento de tempo, de prioridades e de produtividade que não se enquadram no meu perfil psicológico (Agora apelei!), nem no meu momento de vida! 
Ou seja: A culpa não é minha! É o Sistema! Não sou eu é o Sistema!

OS ENCANTOS DA PROCRASTINAÇÃO (I)

É feriado (Só aqui, bom trabalho para vocês!), dez horas da manhã. Mesmo tendo o que fazer (Muito), acabei de sair da cama. Estou na cozinha providenciando chá e torrada. Pronto isso, vou sentar e planejar o dia!
Nossa! Que mulher organizada!
Sei. Tenho consciência. É exatamente essa percepção que dá um caráter quase patológico (Quase? Sério?) para essa cena de cotidiano.
Minha vida (E acredito que a vida da maioria da humanidade.) não é complexa. Não a ponto de precisar de planilhas, trackers, múltiplas listas, sistemas de alerta  para... Hora de começar o almoço? Dia de limpar o carro? Beber água?
https://www.nytimes.com/2013/01/15/science/positive-procrastination-not-an-oxymoron.html

segunda-feira, 4 de junho de 2018

DIZ TUDO!

Essa imagem:
Vou seguir o senso comum: uma imagem vale por mil palavras. Nesse caso ela vem associada com o título: 5 dicas para comprar sapatos que parecem caros mas não são
Conclusão: (   ) Sapatos são caros, mesmo os baratos.
                   (   ) Não tem como salvar essa parte da humanidade.
                   (   ) Nasce um trouxa a cada minuto.
                   (   ) Poderia me ocupar de coisas mais úteis.

ONDE PARAMOS?

Totalmente fora do contexto, a pergunta ficou suspensa no meu cérebro. Não era tão cedo, nem era tarde demais. Mas meu mau humor era típico da madrugada (Quando me levanto de madrugada!)(Tanto faz, em qualquer horário que eu acorde, meu desejo mais comum: que ninguém fale comigo!). Sentia também o cansaço do final do dia, e nem tinha passado o almoço. Nessa mistura de sensações desagradáveis, ter que responder onde paramos?
Agora (horas depois) estou feliz comigo mesma. Não respondi de plano "Em lugar algum! Sequer iniciamos!"  Com muita satisfação (Um imenso prazer!), vi o silêncio conduzir os demais membros do egrégio colegiado a reconhecer que em nada avançamos. Demorou, até que a senhora presidenta da comissão dissesse o óbvio:Estamos exatamente onde começamos!
Depois de mais de 10 horas de tagarelação, durante um mês de reuniões semanais...

terça-feira, 13 de fevereiro de 2018

PARA AUMENTAR A CULTURA GERAL

E...
declarar meu amor/paixão por enciclopédias, livres ou presas!
Não fazia a menor ideia do que foi o fenômeno orkut!
(Também não tenho ideia do que seja dimensão do fenômeno Face Book, mas vou esperar que morra para buscar informações!)

RECOMEÇOS, SUCESSIVOS E SINCEROS?

Falava-se de Orkut!
Extremo de melancolia? Falta de outras saudades mais ... nobres? ... notáveis? ... importantes?  Lamento. Nenhuma dessas palavras representa a sensação que a conversa despertou. Vou ficar com o "achei estranho", por falta de descrição melhor.
As colegas eram enfáticas e estavam em acordo - todas tinham boas lembranças da época do Orkut e saudades!
Na hora, passada a "estranheza", desapeguei do assunto, esquentei  minha água e fui! Mas a temática da sala do café  me tocou. Demorou um pouco, mas aqui estou!
De volta aos velhos hábitos?
Talvez.
 O orkut? Se eu tinha e sinto falta?
Não para ambas.
Que descanse em paz.

quarta-feira, 28 de dezembro de 2016

FÃ SECRETO FUNCIONOU?

Acho que não!
Não teve como sustentar o espírito da brincadeira. A tentativa de inovar - amigos secretos, sem presentes - não funcionou!

A ideia não era de todo má, tinha bons objetivos: estimular o reconhecimento de qualidades entre os colegas e criar uma pauta "positiva" para as interações na sala do café.
Teve um sorteio (não participei) de nomes - isso mesmo nomes. Cada pessoa pegava um papel com três nomes e se comprometia em providenciar seis "publicações" no mural.
Esperava-se que o mural ficasse cheio logo e que despertasse curiosidade. Não foi assim. Apareceram cartões com frases do tipo:  Pessoa elegante e gentil, sempre disposta a ajudar! Você sabe  é muito competente no seu trabalho, exemplo de professor! Pessoa querida, alegria e bondade o tempo todo!
Olhei as primeira publicações e achei muito, mas muito mesmo, recorta e cola de perfil de horóscopo. Tipo isso:


VAMOS CONSIDERAR ELOGIO

Elogiar alguém pode ser coisa difícil.
Manter-se no lado certo, sem cruzar a linha fina que separa  reconhecimento sincero de bajulação descarada, é ciência e arte.
Alguns são capazes de calcular efeitos, medir palavras. Outros, mais espontâneos, correm o risco livremente. Nos dois grupos conheço gente que obtêm grandes sucessos. [Sei, há os fracassos, mas desses eu não lembro. A minha surpresa é sempre quando a coisa da certo. É isso que fica na memória!]
Uma das "brincadeiras" de final de ano foi "elogiar" . Na verdade, a folia era praticamente "fã-secreto". Colocar no mural do café frases ou imagens com "características positivas" de uma pessoa para que os outros tentassem adivinhar.
Essa imagem apareceu. Fomos citadas como prováveis alvos. 
Aceitamos como elogio.

quarta-feira, 21 de dezembro de 2016

SPELLING ANIMALS (II)

Gostei e fui buscar outras ilustrações!
(Não, ela não consegue "ler". Definitivamente a Mais-Má não reconhece as letras!)
Esses gatinhos são fofos, com caras de bobo!

Essa palavra (é um nome próprio) a gente não leu para ela!

SPELLING ANIMALS : HOUNDS

A ideia é simples, mas de execução complicada.
A Mais-Má não conseguiu enxergar na primeira vez. Nem na segunda. Só depois de mais uma tentativa "viu", mas não se convenceu...
Em um ponto concordamos: os cães são muito "interessantes" , não exatamente fofos, mas os detalhes funcionam quando vistos em maior aumento!(Mas, nesse caso, nada de leituras!)

https://nancyfarmer.files.wordpress.com/2014/12/dogs_home-is-where_lg-email.jpg

quarta-feira, 16 de novembro de 2016

E NÃO É SÓ ISSO!

Além de parar e ficar olhando as fotos, eu passo para o conteúdo, vou para o link. Essa foto, por exemplo, me fez acessar o site!


NÃO ESTOU SÓ!

Imagens que nos chamam a atenção de modo imediato - cada um deve ter sua lista! 
Não? É possível um cérebro que não responda, não se mobilize por imagens?
Tá, então faz de conta... E eu volto ao assunto: não sou a única que para e fica olhando para xícaras fumegantes.A prova disso (eu considero que seja evidência suficiente para comprovar minha tese) é o número de fotos de xícaras no Pinterest. E sim, eu sempre paro e olho. 

COLECIONADORA (INCOMPETENTE)

Infográficos, uma das boas  coisas desse século!
Ah! Mas, por favor, é o bom e velho esquema ilustrado!
Não estou dizendo que é novidade. Em termos de comunicação, desde que a humanidade começou a usar tambor e sinal de fumaça, os recursos podem ter mudado mas a essência...
Seja como for, meu assunto não é esse!
Tomei consciência que tenho uma razoável coleção de infográficos na minha coleção de figurinhas!
Um colecionador que não sabe o que tem? Pura incompetência.
Mas eu não tenho problemas com isso, vou continuar juntando, aleatoriamente!
Aqui, a aquisição mais recente:



quinta-feira, 3 de novembro de 2016

Amor não se explica!


Concordo!
Não precisa explicação alguma para amar ou não.
Mas, dá licença para eu ficar confusa...
Ser índio, viver a cultura K. (não sei escrever o nome como se deve!) é tão importante!
Manter as raízes, continuar a história desse povo é tão necessário e bonito que já tem gente pensando em aprender K . Tudo bem se a pessoa for de ascendência de gringo com alemão? 
Acho que sim, Amor não se explica...
Mas, por que raios e trovões, esse militante da cultura indígena, que jura  - por todos os rios e árvores da extinta Mata Atlântica - que ser índío é necessário,  é tão não-índio?  Só eu vejo a falta de sintonia?
Até a mulher dele é - de acordo com a expressão que ele usou o tempo todo: não-índia! Ou seja, formou par fora da cultura que tanto preza e deseja preservar...
É amor . Não se explica...

O que passa pela cabeça das pessoas?


Ser índio é tão bom, tão bom que durante a palestra, uns dois ou três se converteram em indígenas! 
Sim, houve momento epifania, houve momento "si- descobri" !!!
O palestrante, índio bonitão, bem vestido ...
Vestido  demais! Essa foi a principal observação das colegas menopáusicas com hormônios descompensados.
Queriam o quê? Que viesse de tanga??? Que mundo é esse, em que matronas têm  fantasias frustradas porque um representante de grupo indígena vem palestrar de casaco e camisa social???